O Passe – Parte II

pase-2

 

Dando continuidade ao tema Passe, com objetivo de oferecer um maior eclarecimento desse referencial tão abrangente, e muitas vezes de pouco domínio das pessoas interessadas, vamos expor mais um pouco acerca desse assunto.

Por ser uma doação e troca de energias entre o passista(doador), seja ele espírita ou não, e o paciente (receptor), estando este em desequilíbrio de ordem  física ou mental, a pessoa que irá realizá-lo,  deverá também , além da humildade, cultivar a boa vontade e fé, a prece e a mente pura e a elevação de sentimentos de amor.

Emmanuel, através do médium Chico Xavier, diz que:

“Considero o passe espírita como equilibrante ideal da mente e apoio eficaz de todos os tratamentos.”

Sabemos também que outras religiões empregam o passe, sendo este denominado de variadas maneiras como: Johrei, unção, benção, benzedura e outros.

Sendo valioso recurso para a recomposição das carências orgânicas, emocionais, psíquicas e espirituais da criatura humana,  o doente, sentindo-se aliviado, mesmo que por alguns momentos, terá condições de reagir na parte que lhe compete do tratamento.

É importante lembrar que é a disposição de quem recebe o passe que garantirá uma maior assimilação das energias. Não devemos nos esquecer da questão do merecimento; sabemos que toda pessoa tem o livre arbítrio para viver da maneira que puder ou quiser e não podemos desconsiderar os vários fatores envolvidos nestas escolhas, os quais também influenciam no processo de equilíbrio que o passe objetiva; devido a estas escolhas e aos processos naturais de envelhecimento, nem todas as doenças podem ser curadas.

Algumas condições básicas, segundo André Luiz, para que a realização do Passe obtenha melhores resultados:

  • o passista deverá usar o pensamento e a vontade, a fim de captar e emitir os fluídos, fazendo-os convergir ao paciente;
  • se faz necessário um clima de confiança entre o passista e o paciente;
  • o paciente deverá mentalmente consentir que a energia seja transmitida à todas as suas células do corpo físico, havendo então a retenção dos princípios vitais na sua constituição psicossomática.

TIPOS DE PASSES

Passe Magnético

É aquele que trabalha apenas com a energia do agente encarnado e do receptor (magnetismo humano).

O Passe magnético tem uma técnica especial, conhecida por mesmerismo*. É a simples transfusão de energia do doador ao receptor.

Mesmer conceitua o magnetismo como a força vital de que são dotados certos indivíduos e que propicia uma série de fenômenos paranormais.

*  O conceito de magnetismo de cura surgiu na Europa, sendo criado por Franz Anton Mesmer em meados do século XVIII, tendo como sinonímia o termo mesmerismo em sua homenagem (Saiunav, 1982). Os estudos de Mesmer acerca do magnetismo abriram novos horizontes para a pesquisa científica, demonstrando a ação do psiquismo sobre a moléstia. Mais tarde, outros pesquisadores aprofundaram seus estudos, clareando suas noções sobre fluídos e a sua movimentação pela ação da vontade.

 Passe Espiritual

É aquele onde ocorre apenas a ação da energia dos espíritos, sem a participação de um médium passista. Para receber este passe basta que a pessoa se coloque em oração e em estado receptivo. É um exercício de meditação, vários métodos podem ser utilizados para a sua realização, normalmente com o objetivo de relaxamento (Por exemplo, técnicas respiratórias, de harmonização, repouso da mente e outros).

Passe  Mediúnico (humano-espiritual)

É o passe onde a energia espiritual combina-se com as energias do médium passista, tomando assim características especiais, e que pode ser transmitido das seguintes maneiras:

  • Passe pela imposição das mãos: Quando a energia transmitida é emitida pela ponta dos dedos ou pela palma das mãos.
  • Passe realizado pela simples presença do médium: o passe é feito sem a imposição das mãos, onde a energia é transmitida através dos centros vitais, sendo dirigida para onde for necessária, pela própria vontade do médium auxiliado pelos espíritos.
  • Passe por irradiação: Quando o médium ou grupo de médiuns, em estado de concentração, passam a transmitir ou doar energia, a qual é levada pelos espíritos ao local em que se encontrar o receptor, sendo então nele aplicada.

Segue em um próximo Post…

Fonte:

– O Passe :Monografia apresentada como resultado do trabalho do grupo de pesquisa sobre o passe na SBEE  -Curitiba 2006

– Pires, J. Herculano, 1914-1979. Obsessão, o passe, a doutrinação / J. Herculano Pires. – 10. Ed.- São Paulo : Editora Paidéia, 2009.

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Conhecimento e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s