O Passe – Parte III

Oracao

Finalizando o tema Passe, com a evidencia de que o assunto não tenha esgotado nessas 3 partes, comentarei sobre aplicação e a preparação do local.
Esse recurso utilizado tanto pelo espiritismo e por outros credos, tem como objetivo aliviar e até curar os desequilíbrios físicos e emocionais daquelas pessoas que buscam essa forma terapêutica.

Sabemos que para um melhor resultado é importante para aqueles que iram fazer o passe,conhecer as propriedades dos fluídos e de fatores que alterem a transmissão de energias.
Não menos importante é o estudo de obras afins, para que o passista, quando necessite utilizar esse meio no futuro, possa dar mais segurança e qualidade para aqueles que o procuram.

PREPARAÇÃO DO LOCAL

O preparo do local tem grande importância na execução do trabalho do passe, este deve ter uso exclusivo para esta atividade, preservando-se assim a tão necessária atmosfera fluídica local, podendo este ser constituído de sala individual ou coletiva.

O mobiliário deverá ser o mais simples possível, em geral restringindo-se a cadeiras para os pacientes, embora possa contar também com uma cama ou maca.

A iluminação*, durante o passe, deve ser reduzida.

Deve-se observar o silêncio na sala de passe, para evitar uma interrupção na concentração do médium e do paciente, podendo-se utilizar música* ambiente suave em volume baixo.

A sala deve ser mantida ventilada com boa circulação de ar para se evitar mal-estar por parte do passista ou do paciente bem como contágio e propagação em casos da presença de pessoas com possível doença respiratória ou contagiosa de maneira geral.

*Observação: Alguns centros utilizam lampadas de cores no ambiente, como por ex: a cor azul, violenta, etc.
A musica de preferencia deverá ser clássica ou instrumental.

TÉCNICA DE APLICAÇÃO

Deve-se iniciar o movimento do passe na altura do pavilhão auditivo, penetrando no campo energético do paciente com ambas as mãos.

Depois se eleva as mãos acima da sua cabeça, abertas naturalmente, percorrendo todo o seu corpo, concentrando-se nos centros vitais.

Ao finalizar cada movimento as mãos devem ser fechadas, para evitar que continue a emissão de fluidos e retornam então à região superior do paciente, abrem-se as mãos novamente, reiniciando o movimento para que se realize a fase de concentração.

Nesta fase o médium deve percorrer novamente o corpo do paciente, concentrando-se nos pontos correspondentes aos centros vitais, mentalizando firmemente que está a transferir os fluidos de que ele necessita para o seu restabelecimento orgânico.

A aplicação do passe deve ser sempre feita de maneira padronizada. Deve-se observar sempre a intuição do médium passista, que com o passar do tempo e ao se dedicar a esta técnica, irá se tornando mais sensível às necessidades do paciente e ao contato dos espíritos que o assistem, sendo respeitadas, porém, as regras básicas.

Deve-se realizar de maneira geral, o passe de modo silencioso, com simplicidade e naturalidade , evitando-se sempre qualquer recurso espetacular, como, a gesticulação violenta, a respiração ofegante, o bocejar constante, e principalmente nunca tocar no paciente, pois este ato pode causar constrangimento ou a perda da concentração.

Durante o passe devem-se observar certas atitudes:

  • Manter as mãos abertas com naturalidade, sem precisar esticar os dedos.
  • Não há posição relativa obrigatória para o passista. Ele pode se colocar em frente, ao lado ou atrás do paciente.
  • Quanto à posição o passe pode ser aplicado em qualquer uma, desde que o paciente fique bem relaxado. Deitado, sentado e em pé são as mais comuns.
  • Devemos estar atentos para que o paciente, ao posicionar-se para o passe, se desvencilhe de objetos, tais como bolsas, guarda-chuvas, pacotes, etc.

O passe é sempre realizado visando inicialmente a retirada de fluidos prejudiciais, e a seguir a aplicação de bons fluidos. Daí serem classificados, quanto à sua finalidade específica, em:

  • Passes para retirada de fluidos, chamada de fase dispersiva.
  • Passes para concentração de fluidos, chamada de fase de doação.

Devemos começar sempre com a fase de dispersão , limpeza do campo fluídico do paciente procurando retirar os fluidos negativos que possam envolvê-lo e, depois, iniciar a fase de doação de fluidos. Se essa sequência for invertida, iremos, com certeza, nos desgastar inutilmente, pois vamos dispersar exatamente os fluidos que doamos.

Essa regra básica jamais poderá ser ignorada: Primeiro a dispersão e depois a concentração.

Ao executarmos a dispersão como fase inicial do passe, estaremos também evitando que os fluidos a serem doados na fase subsequente venham a ser repelidos pelo envoltório fluídico do paciente, como decorrência da repulsão entre fluidos de natureza oposta observando-se a lei fundamental dos fluidos. Esta fase merece, portanto, a máxima atenção.

A imposição das mãos é a técnica mais utilizada na casa espírita. Normalmente o termo refere-se à aplicação de fluidos em um único ponto pré-determinado, mas podemos fazer uso desta técnica para alguns tipos de passe, como no chamado passe longitudinal, temos ainda o seu uso no passe transversal, perpendicular e circular.

O passe longitudinal é com certeza o passe mais comumente utilizado. Nele o passista, percorre o paciente através de movimentos ao longo de seu corpo, mantendo suas mãos a uma distancia aproximada de 10 a 15 centímetros do mesmo.

 

 

passe 1                          img plexos e centros vitais

 

 

Depois de iniciado o passe não pense em mais nada, mentalize sua casa, sua família e seus desejos.
Em silêncio evoque a proteção de Deus e de Jesus para o passe, desejando após a evocação, rogue também o concurso do seu o anjo da guarda os dos espíritos superiores com os quais tenha maior afinidade. Procure afastar de sua mente quaisquer pensamentos negativos, respire fundo, pausadamente, com calma e confiança.

 ****

“Como as folhas envelhecidas se desprendem das árvores, deixe os sentimentos que já não servem mais se soltarem de você suavemente, mas de forma inexorável.
Pequenos pontos de sofrimento e que se chamam amargura, tristeza, raiva, decepção… se vão de sua mente um a um para não mais voltar!… O vento da Vida leva-os para longe, sem que possam retornar e refazer o vínculo pernicioso.
Pouco a pouco a árvore de suas emoções vai se esvaziando de negatividade, até mostrar-se limpa e pronta para a renovação”…

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: O Passe :Monografia apresentada como resultado do trabalho do grupo de pesquisa sobre o passe na SBEE -Curitiba 2006
Mensagem Espirita – Passe Virtual.
Melo, Jacob. Manual do Passista. Ed. Mnêmio Túlio. 2ª ed. São Paulo, 1998.

Anúncios
Esse post foi publicado em Conhecimento e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s